Modelar a Metrópole Governo do Estado do Rio de Janeiro The World Bank Group

Notícias

IAB e Câmara Metropolitana debatem a metrópole do RJ com estudantes de arquitetura

02 de maio de 2017

Alunos de arquitetura da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), da Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Estácio de Sá, entre outras, estiveram presentes no encontro promovido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), no último dia 25, que, junto com a Câmara Metropolitana, debateu a metrópole do Rio de Janeiro. A iniciativa faz parte de um conjunto de ações que serão realizadas até 2020, quando o Rio de Janeiro sediará o Congresso da União Internacional dos Arquitetos. “Esse intercâmbio de escolas é importante para pautar o problema da Região Metropolitana. Os estudantes são capazes de propor novos horizontes, novos olhares”, afirmou o presidente do IAB-RJ, Pedro da Luz Moreira.

O IAB-RJ e a Câmara Metropolitana assinaram, durante o evento, um termo de cooperação simbolizando o compromisso das instituições em manter uma constante interface com os alunos e disponibilizar dados e informações sobre a Região. A nova cartografia do território metropolitano, projeto desenvolvido pela Câmara e, futuramente, os estudos feitos pelo Consórcio Quanta-Lerner para o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, são alguns desses documentos.

O diretor executivo da Câmara Metropolitana, Vicente Loureiro, elogiou a parceria. “Acredito muito nesse encontro com as universidades, no sentido de motivar o debate, de ter a possibilidade de gerar mais projetos e estudos voltados para as questões da metrópole. É uma forma de institucionalizar um ambiente de discussão permanente e fazer com que os estudantes fiquem mais antenados com a temática metropolitana. Com essas disciplinas, será possível reconstruir caminhos capazes de gerar uma compreensão mais sólida da complexidade do território. Daqui a dois anos, independente de onde estivermos, a nossa intervenção e ação terão reflexos nesse território e as políticas que forem desenvolvidas irão afetar diretamente a nossa vida”, disse Loureiro.

O superintendente de Planejamento da Câmara Metropolitana, Luiz Firmino Martins, apresentou os trabalhos desenvolvidos até agora pelos especialistas do Consórcio Quanta-Lerner para o Plano Metropolitano do Rio de Janeiro e destacou o processo participativo de toda a fase de Diagnósticos e Visão de Futuro do projeto. “Contamos com a participação de quase 2 mil pessoas no processo inicial, ouvindo o cidadão metropolitano e especialistas com expertise nos principais assuntos abordados no PDUI/RMRJ, como mobilidade, economia, habitação, patrimônio ambiental e cultural, saneamento e reconfiguração espacial”, afirmou.

“Para nós, é um estímulo ter as universidades debatendo o assunto. Queremos aprofundar a discussão e ver métricas e metodologias sendo elaboradas e aplicadas na Região. São muitos os desafios, principalmente o de conter a expansão desordenada do território, que há anos tem um crescimento sem controle, periférico e disperso, com precariedades e problemas de baixa densidade. Estou muito orgulhoso em compartilhar com vocês os nossos planos e conto com todos para a constituição de um ambiente de discussão mais qualificado e na construção de um futuro melhor para a nossa metrópole”, concluiu Loureiro, encerrando o debate.

Outras Notícias

Receba as últimas novidades sobre o plano